Alcon Pet Pets peixes oscar

oscar

Nome Científico
Astronotus ocellatus

Origem: Bacia Amazônica
Comprimento máximo: 45 cm
Comportamento: territorialista e predador.

Também conhecido como Acará-açu e Apaiari, o Oscar (Astronotus ocellatus) é mais um membro da numerosa família Cichlidae, a mesma dos Ciclídeos Africanos e de outras preciosidades do aquarismo, como o Acará Disco e o Acará Bandeira. Nativo da região equatoriana do Peru, Colômbia, Brasil e Guiana Francesa, ocorre em rios da bacia Amazônica com correntes lentas e águas brancas, ou seja, com alto teor de argila em suspensão.

Na natureza apresentam coloração escura com desenhos em mosaicos alaranjados, podendo atingir até 45 cm de comprimento e pesar aproximadamente 1,5 kg. Variedades com aspecto e coloração diferentes são hoje encontradas no mercado, a partir de exemplares criados em cativeiro. Alguns exemplos são o Oscar Red, Red Tiger, Albino Red Ruby, Albino Red Tiger, além de variedades com nadadeiras véu.

Habitam rios com pH ligeiramente ácido (6,8 a 7,0) e águas quentes. A temperatura é um dos principais fatores limitantes de sua distribuição. Em cativeiro, toleram grande variação de pH e dureza da água, desde que a temperatura mantenha-se constante, próxima a 28 °C. Temperaturas baixas podem ser letais a esta espécie.

O Oscar apresenta grande valor comercial. Além de ser amplamente cultivado como peixe ornamental, também é apreciado como peixe de consumo, devido à qualidade de sua carne, com boa consistência e livre de espinhos intramusculares. O crescimento lento, quando comparado a outras espécies, dificulta seu cultivo para este fim.

Os aquaristas descrevem o Oscar como um peixe simpático e brincalhão, capaz de reconhecer o dono e alimentar-se em sua mão. Chega a permitir carícias em seu dorso. É um exímio decorador, remexendo o fundo do aquário e mudando constantemente o arranjo das pedras, conforme seu gosto.

Comportamento e Compatibilidade
Aos menos avisados, os movimentos lentos de seu nado podem sugerir que sejam peixes de fácil convívio com outras espécies. Na verdade são peixes carnívoros, extremamente vorazes e territorialistas. Peixes menores são sempre vistos como presas, portanto não devem ser introduzidos em aquários com Oscar.

Mesmo que sejam adquiridos ainda pequenos, deve-se considerar o potencial de crescimento dessa espécie, que, em cativeiro, pode chegar a 30 cm. Necessitam aquários com bastante espaço, principalmente ser forem mantidos com outros peixes de grande porte ou para abrigar um casal. Os ideais são aquários com até 250 litros. Não devem ser mantidos em aquários com menos de 100 litros, mesmo que seja para manter apenas um exemplar.

Ph

6,8 a 7,0

Temperatura

28 ºC

Alimentação

Ração extrusada: Alcon Ciclídeos Grânulos (jovens) e Alcon Carnívoros (para peixes acima de 10 cm)

Reprodução

O Oscar não apresenta dimorfismo sexual (diferenças aparentes entre machos e fêmeas), apesar de algumas pessoas considerarem que os machos crescem mais rápido do que as fêmeas. Apesar das poucas informações sobre a reprodução desta espécie na natureza, acredita-se que alcancem a maturidade sexual com aproximadamente um ano de idade, reproduzindo-se até os 10 anos. Desovam entre 700 e 2.000 ovos por ciclo, em superfícies lisas (pedras, troncos, etc), demonstrando cuidados parentais, ou seja, os pais tomam conta da desova e dos pequenos filhotes após o nascimento.

Manutenção

Aquário com volume mínimo de 100 L.

Para maiores informações sobre montagem e manutenção de aquários, leia o guia SEU NOVO AQUÁRIO.

O aquário deve ser montado com equipamentos de filtragem (filtro mecânico e biológico), termostato para controlar a temperatura e a iluminação adequada.

É necessário que haja um intervalo de pelo menos 20 dias entre a montagem e o início do povoamento (colocar os peixes no aquário), para que a população de bactérias nitrificantes possa se estabilizar. Estas irão degradar a matéria orgânica (fezes, sobras de alimentos, entre outros) em amônia, nitrito, e por fim, nitrato, um nutriente para as plantas. Durante este período monitore constantemente todos os parâmetros de qualidade da água (pH, temperatura, amônia e nitrito) através dos testes: Labcon Test pH Tropical, Labcon Test Amônia Tóxica Água Doce e Labcon Test Nitrito. Quando necessário realize as correções do pH com Labcon Acid ou Labcon Alcali, conforme a exigências dos peixes que serão introduzidos no aquário. Os compostos nitrogenados, amônia e nitrito, devem ser mantidos sempre em níveis baixos ou zerados. Após o povoamento, o monitorando da qualidade da água, deve ser feito semanalmente.

As trocas parciais de água devem ocorrer sempre que tiver presença de amônia e nitrito na água, bem como alterações no pH. Troque no máximo 25% do volume total do aquário, aplicando sempre Labcon Protect Plus na água que será introduzida. Este produto além de neutralizar compostos nocivos como cloro e metais pesados, diminui e estresse dos peixes durante o manejo, e forma uma película sobre o corpo dos animais, preservando seu muco natural e evitando o desenvolvimento de bactérias e fungos.

Outro cuidado importante é com relação à quantidade de alimento fornecida aos peixes. Para evitar sobras, que são muito prejudiciais à qualidade da água, deve-se seguir a regra de alimentar os peixes 2 ou 3 vezes ao dia, em quantidade suficiente para ser totalmente consumida em no máximo 5 minutos.

Os medicamentos só devem ser utilizados em caso de doenças, não é aconselhável o uso de medicamentos de forma preventiva. a melhor forma de prevenção é manutenção dos parâmetros de qualidade da água (pH, temperatura, amônia e nitrito) estáveis, e nos níveis idéias para as espécies cultivadas. Variações bruscas em qualquer destes parâmetros, bem como, valores inadequados as espécies cultivadas, estressam os peixes, alteram o seu metabolismo e diminuem a sua resistência imunológica, podendo levá-los a morte. Falta de oxigênio, bem como o excesso de amônia e nitrito, matam os peixes por asfixia.

Outra forma de prevenir a introdução de patógenos no aquário é utilizando Labcon Clean, no saco de transporte dos peixes e na lavagem dos objetos e plantas que serão introduzidos no aquário.

Pet

oscar

oscar

Nome Científico
Astronotus ocellatus

Origem: Bacia Amazônica
Comprimento máximo: 45 cm
Comportamento: territorialista e predador.

Também conhecido como Acará-açu e Apaiari, o Oscar (Astronotus ocellatus) é mais um membro da numerosa família Cichlidae, a mesma dos Ciclídeos Africanos e de outras preciosidades do aquarismo, como o Acará Disco e o Acará Bandeira. Nativo da região equatoriana do Peru, Colômbia, Brasil e Guiana Francesa, ocorre em rios da bacia Amazônica com correntes lentas e águas brancas, ou seja, com alto teor de argila em suspensão.

Na natureza apresentam coloração escura com desenhos em mosaicos alaranjados, podendo atingir até 45 cm de comprimento e pesar aproximadamente 1,5 kg. Variedades com aspecto e coloração diferentes são hoje encontradas no mercado, a partir de exemplares criados em cativeiro. Alguns exemplos são o Oscar Red, Red Tiger, Albino Red Ruby, Albino Red Tiger, além de variedades com nadadeiras véu.

Habitam rios com pH ligeiramente ácido (6,8 a 7,0) e águas quentes. A temperatura é um dos principais fatores limitantes de sua distribuição. Em cativeiro, toleram grande variação de pH e dureza da água, desde que a temperatura mantenha-se constante, próxima a 28 °C. Temperaturas baixas podem ser letais a esta espécie.

O Oscar apresenta grande valor comercial. Além de ser amplamente cultivado como peixe ornamental, também é apreciado como peixe de consumo, devido à qualidade de sua carne, com boa consistência e livre de espinhos intramusculares. O crescimento lento, quando comparado a outras espécies, dificulta seu cultivo para este fim.

Os aquaristas descrevem o Oscar como um peixe simpático e brincalhão, capaz de reconhecer o dono e alimentar-se em sua mão. Chega a permitir carícias em seu dorso. É um exímio decorador, remexendo o fundo do aquário e mudando constantemente o arranjo das pedras, conforme seu gosto.

Comportamento e Compatibilidade
Aos menos avisados, os movimentos lentos de seu nado podem sugerir que sejam peixes de fácil convívio com outras espécies. Na verdade são peixes carnívoros, extremamente vorazes e territorialistas. Peixes menores são sempre vistos como presas, portanto não devem ser introduzidos em aquários com Oscar.

Mesmo que sejam adquiridos ainda pequenos, deve-se considerar o potencial de crescimento dessa espécie, que, em cativeiro, pode chegar a 30 cm. Necessitam aquários com bastante espaço, principalmente ser forem mantidos com outros peixes de grande porte ou para abrigar um casal. Os ideais são aquários com até 250 litros. Não devem ser mantidos em aquários com menos de 100 litros, mesmo que seja para manter apenas um exemplar.

Alimentação

Ração extrusada: Alcon Ciclídeos Grânulos (jovens) e Alcon Carnívoros (para peixes acima de 10 cm)

Reprodução

O Oscar não apresenta dimorfismo sexual (diferenças aparentes entre machos e fêmeas), apesar de algumas pessoas considerarem que os machos crescem mais rápido do que as fêmeas. Apesar das poucas informações sobre a reprodução desta espécie na natureza, acredita-se que alcancem a maturidade sexual com aproximadamente um ano de idade, reproduzindo-se até os 10 anos. Desovam entre 700 e 2.000 ovos por ciclo, em superfícies lisas (pedras, troncos, etc), demonstrando cuidados parentais, ou seja, os pais tomam conta da desova e dos pequenos filhotes após o nascimento.

Manutenção

Aquário com volume mínimo de 100 L.

Para maiores informações sobre montagem e manutenção de aquários, leia o guia SEU NOVO AQUÁRIO.

O aquário deve ser montado com equipamentos de filtragem (filtro mecânico e biológico), termostato para controlar a temperatura e a iluminação adequada.

É necessário que haja um intervalo de pelo menos 20 dias entre a montagem e o início do povoamento (colocar os peixes no aquário), para que a população de bactérias nitrificantes possa se estabilizar. Estas irão degradar a matéria orgânica (fezes, sobras de alimentos, entre outros) em amônia, nitrito, e por fim, nitrato, um nutriente para as plantas. Durante este período monitore constantemente todos os parâmetros de qualidade da água (pH, temperatura, amônia e nitrito) através dos testes: Labcon Test pH Tropical, Labcon Test Amônia Tóxica Água Doce e Labcon Test Nitrito. Quando necessário realize as correções do pH com Labcon Acid ou Labcon Alcali, conforme a exigências dos peixes que serão introduzidos no aquário. Os compostos nitrogenados, amônia e nitrito, devem ser mantidos sempre em níveis baixos ou zerados. Após o povoamento, o monitorando da qualidade da água, deve ser feito semanalmente.

As trocas parciais de água devem ocorrer sempre que tiver presença de amônia e nitrito na água, bem como alterações no pH. Troque no máximo 25% do volume total do aquário, aplicando sempre Labcon Protect Plus na água que será introduzida. Este produto além de neutralizar compostos nocivos como cloro e metais pesados, diminui e estresse dos peixes durante o manejo, e forma uma película sobre o corpo dos animais, preservando seu muco natural e evitando o desenvolvimento de bactérias e fungos.

Outro cuidado importante é com relação à quantidade de alimento fornecida aos peixes. Para evitar sobras, que são muito prejudiciais à qualidade da água, deve-se seguir a regra de alimentar os peixes 2 ou 3 vezes ao dia, em quantidade suficiente para ser totalmente consumida em no máximo 5 minutos.

Os medicamentos só devem ser utilizados em caso de doenças, não é aconselhável o uso de medicamentos de forma preventiva. a melhor forma de prevenção é manutenção dos parâmetros de qualidade da água (pH, temperatura, amônia e nitrito) estáveis, e nos níveis idéias para as espécies cultivadas. Variações bruscas em qualquer destes parâmetros, bem como, valores inadequados as espécies cultivadas, estressam os peixes, alteram o seu metabolismo e diminuem a sua resistência imunológica, podendo levá-los a morte. Falta de oxigênio, bem como o excesso de amônia e nitrito, matam os peixes por asfixia.

Outra forma de prevenir a introdução de patógenos no aquário é utilizando Labcon Clean, no saco de transporte dos peixes e na lavagem dos objetos e plantas que serão introduzidos no aquário.

Dr. Fala responde

perguntas dr. fala

A água do aquário está verde? Saiba mais...

A importância da alimentação balanceada Saiba mais...

Água turva? Como solucionar? Saiba mais...

Benefícios da Espirulina Saiba mais...

Momento de alegria no aquário Saiba mais...

Momento de alegria no aquário Saiba mais...

Seu peixe parou de comer? Saiba mais...

Produtos Relacionados

Mais produtos para seu pet