Algas em Aquário: O Que Fazer?

favorite3 visibility694
Blog do Dr. Fala - Algas em Aquário: O Que Fazer?

Após adquirir um aquário e investir tempo e dedicação em estruturá-lo de uma forma geral, existem boas chances dos aquaristas serem surpreendidos com uma exuberante “decoração” indesejada, as algas. O aparecimento de algas no aquário pode ser um dos maiores incômodos, seja em aquários comunitários, aquários de aquapaisagismos, biótopos ou em aquários de camarões.

A palavra "alga” é basicamente um termo geral para um enorme número de organismos diferentes. Entre eles, existem organismos unicelulares microscópicos, formas filiformes, além de algas macroscópicas, como algas marinhas, sendo que algumas podem atingir até 60 metros de comprimento.

A proliferação de uma pequena quantidade de algas é uma situação corriqueira e inofensiva para outros organismos do aquário. Já o desenvolvimento acelerado de algas unicelulares (Chlorella sp.) que ficam em suspensão na água se torna um contratempo estético. Além disso, seu controle é oneroso e é um dos principais motivos que levam as pessoas a desanimarem desse hobby.

Entretanto, há boas maneiras de controlar e/ou impedir que elas se propaguem de forma bruta, tendo em vista que a ocorrência de algas está relacionada com a combinação de fatores como excesso de nutrientes, alta intensidade luminosa, temperatura elevada e sistema de filtragem deficiente.

As ações de prevenção e combate à proliferação de algas devem ser direcionadas com o intuito de reduzir a disponibilidade de nutrientes, oferecendo alimentos que apresentam alta digestibilidade e em quantidades que sejam consumidas em poucos minutos. As sobras de alimentos devem ser removidas, pois sua decomposição libera altos níveis de fosfato na água, contribuindo para o desenvolvimento das algas.

Outro cuidado a ser tomado é não deixar o aquário próximo a janelas com luz solar direta e no caso de iluminação artificial, deve-se adequar a intensidade e quantidade de luz, regulando o fotoperíodo para cerca de até oito horas por dia.

A temperatura da água também é outro importante fator, atuando diretamente no metabolismo das algas, regulando a velocidade da absorção de nutrientes e suas taxas de crescimento. Caso a água aqueça rapidamente, o processo de decomposição é acelerado e a disponibilidade de nutrientes nitrogenados aumenta, fomentando o desenvolvimento de algas.

Outro fator fundamental para eliminar o excesso de matéria orgânica e garantir uma boa circulação da água, de modo a evitar a pronta disponibilidade de nutrientes para o desenvolvimento de algas é o uso de um sistema de filtragem bem dimensionado de acordo com o tamanho do aquário.

Uma medida rápida e eficiente para controlar algas já instaladas em aquários é a utilização do Labcon Anti Algas, que tem efeito algicida imediato sobre algas filamentosas e microalgas em suspensão (água verde), associado ao Labcon Cristal, indicado para aglutinar as algas mortas e partículas em suspensão.

A forma de uso desses produtos é bem simples, basta desligar o filtro mecânico ou retirar os elementos filtrantes do equipamento e aplicar o Labcon Anti Algas. Após uma hora da aplicação do algicida, aplicar o Labcon Cristal para aglutinar as algas mortas e facilitar a sua remoção pelo sistema de filtragem mecânica. Porém, antes de utilizar o Labcon Cristal, deve ser realizado um teste para verificar a reserva alcalina (Test Dureza em Carbonatos KH). Caso a água apresente baixa reserva alcalina, o pH poderá oscilar bruscamente e causar prejuízos à saúde dos peixes.

Em seguida, ligar o filtro mecânico ou caso tenha removido os elementos filtrantes, colocá-los novamente. A limpeza do filtro deve ser realizada sempre que necessário. As reaplicações dos produtos devem ser feitas a cada 48 horas, porém, antes é recomendado realizar uma troca parcial de água com sifonagem do fundo.

Em relação ao tempo de tratamento, este depende diretamente da quantidade de algas presente no aquário, ou seja, o grau de eutrofização da água.

É muito importante que o aquário possua um sistema de filtragem mecânico eficiente, de modo a evitar que a matéria orgânica permaneça no ambiente.

A eficiência do tratamento e o sucesso no controle de algas dependem também da remoção das causas. Sendo assim, ao adotar boas práticas de manutenção e possuir os equipamentos necessários, é possível manter um aquário livre de algas e curtir esse pequeno pedaço da natureza dentro de sua casa.

Aprenda a montar e cuidar de seu aquário no Guia Seu Novo Aquário
Dúvidas? Escreva para nosso Depto. Técnico

Gostou deste post?


Pet Nutrition Expertise

peixes

Conforme nossa Política de Privacidade, utilizamos cookies para armazenar informações sobre como você usa nosso site, ao continuar com a navegação você concorda com estas condições.